quarta-feira, 4 de agosto de 2010

[Lives] 03 - O livro e os bonecos de papel

Magicus Literatus era o nome que se lia numa pequena placa logo a frente de uma lojinha antiga e de aspecto antigo. Negi, Asuna, Konoka e Setsuna estavam parados à frente do local. O jovem mago estava ansioso, seu coração pulando no peito. Asuna olhava com certa curiosidade para o estabelecimento. Konoka se perguntava se ali haveria algum título relacionado à magia branca e Setsuna ainda tentava digerir internamente as palavras de Asuna mais cedo:

- Vamos? – perguntou Negi ansioso sem desgrudar os olhos da pequena livraria.

- E tem outro jeito? – perguntou Asuna displicentemente.

- Heim? – Negi virou-se para a ruiva sem entender.

- Brincadeira...Ah deixa pra lá. – realmente não era nada agradável para ela deixar o conforto de não fazer nada para ir a uma aventurazinha do mago em busca de pista do pai. Fazer o que? O que não podia mesmo era deixá-lo correr risco por ai sem ninguém pra cuidar.

- Ah...Asuna? Por que está tão estranha hoje? – Negi realmente estava achando a atitude da garota diferente, principalmente depois da cena na praça da Árvore Mundo.

- Deve ser.... – Kamo ia começar a dizer, mas Asuna interrompeu para não voltarem ao assunto polêmico.

- Ah! Vamos depressa Negi, lembra-se da pista?

- É verdade! Vamos! – e o garoto saiu quase correndo na frente seguido pelas garotas. Asuna resmungou algo como “Como crianças são bestas” e ficou aliviada de saírem daquele papo comprometedor.

Os quatro jovens entraram no pequeno estabelecimento empoeirado. Haviam livros e mais livros entupindo as estantes que se estendiam pelas paredes do lugar. Um homem já idoso caminhou até eles com um enrugado e gentil sorriso:

- Posso ajudá-los jovens? – perguntou gentilmente olhando cada rosto a sua frente.

- Na verdade sim! – Negi respondeu animado, até demais para o Negi de sempre, parecia ter voltado a ser um menino comum de tão nervoso e curioso para ver o tal livro com sua pista. – Estamos procurando por um livro chamado A Jornada do Mago.

- Hum... – o velho resmungou pensando. Por um instante Setsuna pode reparar que passara um estranho e quase imperceptível sorriso pelo rosto deste. Levou alguns segundos até responder. – Vocês têm sorte, jovens, tenho apenas um único exemplar nesta loja.

- E onde está? – perguntou Asuna que estava ficando curiosa.

- Na sala aos fundos. – respondeu o senhor apontando para uma portinha torta atrás de si. – Infelizmente tenho que continuar atualizando meu álbum de selos e não posso ajudá-los a procurar, mas fiquem a vontade: entrem lá e procurem o livro.

- Coleção de selos? – estranhou Asuna.

- Mexer nos livros? – Konoka pareceu se deliciar com as possibilidades de uma livraria antiga, mas parecia uma integrante do trio biblioteca.

- Mas... – começou Setsuna sendo interrompida pelo garoto mago.

- Beleza! Obrigado! – agradeceu e foi em direção a porta dos fundos.

- Ho ho ho! Fiquem a vontade. – disse o senhor indo até uma mesinha onde havia diversos selos antigos a serem limpos e guardados em ordem.

As três garotas seguiram o jovem mago e entraram na sala dos fundos que era ainda menor e mais empoeirada que a primeira. Haviam estantes e mais estantes naquele espaço minúsculo, além de caixas e livros empilhados pelo chão. Os olhos de Konoka brilharam ao ver a quantidade de livros ali. Asuna reclamou do trabalho que daria encontrar um único livro naquela bagunça. Negi começou rapidamente a remexer nos livros mais próximos em busca do A Jornada do Mago. Setsuna olhou para trás refletindo.

“Será que esse senhor....?” se perguntava antes da portinha torta se fechar com suavidade. Havia estranheza naquele jeito despreocupado do velho de deixa-los adentrar em seu estabelecimento, mas infelizmente não adiantaria tentar prevenir o jovem mago que estava absorto na tarefa de arremessar livros de um lado para o outro em busca do seu volume:

- Vem ajudar Setsuna! – mandou Asuna exasperada, talvez por não estar acostumada a ter tantos livros ao redor e a espadachim foi ajudar na procura.

Konoka remexia os livros procurando o A Jornada do Mago quando seus olhos recaíram sobre um titulo que lhe chamou a atenção: Magia Branca Avançada Tradicional. Estranho haver um livro desses em uma escola, mas pensando bem, Mahora não era nem de longe uma escola como as outras. Ela segurou o livro como se fosse frágil e pudesse quebrar a qualquer instante. Pensou que se fosse discreta poderia comprar o livro sem que seus amigos percebessem. Ainda não era hora de mostrar o quanto havia mudado nos últimos meses sem que ninguém se desse conta, nem mesmo sua Set-chan sabia como havia tornado-se outra nos últimos tempos, isso por que esforçava-se ao máximo para não deixar transparecer sua mudança, ainda não:

- Achei!!! – exclamou Asuna radiante levantando o livro no ar. – Tá na mão! O Livro é nosso!!!

- É isso aí Ane-san! – exclamou Kamo com o minúsculo braço erguido.

- Toma aí Negi. – disse a ruiva jogando o livro para o garoto que parecia prestes a voar de felicidade. Negi agarrou o volume no ar e olhou fascinado para a capa simples de couro marrom com o titulo prateado A Jornada do Mago. Seu coração batia descompassado enquanto ele passava o dedo sobre a lombada do livro, apreciando a sensação de estar com uma pista de seu pai nas mãos. – Abre logo moleque! – brigou Asuna curiosa para ver o que existiria de tão interessante naquele livro.

Negi segurou o livro com as duas mãos e abriu-o no meio onde havia um papel dobrado entre as paginas. Mal teve tempo de perceber que tinha forma de um bonequinho quando este começou a brilhar fortemente:

- Mas o que? – perguntou-se Negi quando o papel começou a se elevar no ar.

- Mas que “diaxo” é isso? – perguntou Asuna surpresa.

- Ah... – Konoka assistia a cena segurando o livro de magia branca. Setsuna colocou o braço na frente dela para protegê-la de qualquer coisa que pudesse ocorrer segurando a bainha de Yuunagi firmemente com a outra mão.

O brilho se intensificou até que não pudessem enxergar e depois cessou. Negi, Asuna e Konoka ficaram boquiabertos ao se depararem com um guerreiro de aspecto assassino bem no lugar onde o papel estivera, bem de frente com o mago e olhando fixamente para o livro nas mãos deste:

- Passe o livro. – mandou o guerreiro todo sujo apontando uma espada ensangüentada para o garoto que ficou sem reação por um instante.

Asuna fez menção de pegar sua carta de pacto quando algo passou veloz por ela e no segundo seguinte Setsuna havia tomado o livro das mãos de Negi e estava próxima a única janelinha da saleta:

- Se é o livro que quer...venha busca-lo. – disse a espadachim e saiu em direção ao sol de Mahora. O guerreiro não hesitou: foi em disparada atrás da garota.

- Setsuna!!! – berrou Negi sacando a varinha e murmurando um feitiço para sair em disparada atrás do assassino.

- Ei! Espera aí! Adeat! – Asuna pegou sua espada e foi atrás dos três seguida de uma Konoka perplexa com o súbito conflito.

Setsuna corria a toda velocidade tentando encontrar um local que fossedeserto para a luta. Seu algoz vinha em seguida sacando pequenas estrelas ninja de roupa suja. Negi vinha a toda velocidade se aproximando dos conflitantes para ajudar a espadachim numa eventual batalha, afinal ele é quem devia lutar, não sua aluna! Afinal ele as havia forçado a participar da busca ao livro.

Setsuna chegou a uma parte próxima a floresta e parou para avaliar as possibilidades, porem muito antes de chegar a uma decisão uma estrela ninja passou cortando seu rosto na altura da bochecha. Virou-se e viu-se de frente para o misterioso adversário. Este segurava estrelas ninja numa mão e sua espada ensangüentada na outra. Olhava fixamente para o livro na mão da garota e não respirava.

- Setsuna! – berrou Negi ao chegar na cena um pouco a distância do guerreiro a espadachim entendeu a idéia do mago e avançou para atacar este. O assassino reagiu na mesma hora posicionando-se para revidar, no ultimo instante Setsuna arremessou o livro pelo lado da cabeça do inimigo na direção do mago que o aparou com agilidade.

Esse estratagema quase custou a vida da espadachim. O guerreiro direcionou um golpe fatal contra ela que bloqueou com Yuunagi de mau jeito, tendo a espada arremessada a distância. Com o impacto do golpe Setsuna caiu para trás e no milésimo seguinte estava com a espada enferrujada e ensangüentada do inimigo a um centímetro da jugular.

- Setsuna! – voltou a exclamar Negi ao ver a situação.

- Essa não! – Asuna disse ao chegar ao local com sua espada no ombro.

- Set-chan! – Konoka levou as mãos a boca, uma delas ainda com o livro de magia branca.

- Morrerá por tentar me impedir. – disse o shikigami assassino com sua voz gélida e sem vida. Setsuna não se moveu ou pareceu se importar com as palavras deste. – Mas espere... – disse ele olhando melhor sua presa. Setsuna trajava uma casaco preto e seus cabelos curtos estavam soltos caindo pelo seu ombro. – Mas você não...?

Ele havia percebido, porém tarde de mais. A Setsuna aos seus pés apenas sorriu quando de suas costas a verdadeira Setsuna com casaco azul suave e cabelos presos de sempre:

- Zan-ma-ken! – um golpe fulminante contra conjurações que foi o suficiente para transformar o guerreiro assassino de volta em um pedaço de papel com forma de boneco. Negi, Asuna e Konoka assistiram à cena sem fala.

- Caraca... - comentou Asuna quando já estava perto da espadachim que estendia a mão para a outra Setsuna no chão se levantar. – Isso foi...demais...

- Você está bem Setsuna? – perguntou Negi abobado também, segurando o livro A Jornada do Mago.

- Mas o que foi isso Setsuna? – perguntou Asuna curiosa olhando de canto para a outra Setsuna idêntica a original, sem contar com as roupas e cabelo diferente. Konoka não falou nada mas também estava curiosa.

- Ah...essa daqui é a....bem podem chama-la de Setsuna-P ou Outra Setsuna. Uso ela para me substituir quando necessário. – explicou a garota apresentando a shikigami.

- Setsuna-P? – Asuna estranhou o nome.

- “P” de ”pseudo”, certo? – perguntou Negi.

- É.

- Olá a todos. – cumprimentou Setsuna-P timidamente com um sorriso.

- Ela é um tipo de shikigami diferente da Chibi Setsuna. Eu não posso ver através dela, mas ela tem mais força e habilidades que a Chibi Setsuna. – explicou Setsuna.

- Ei! Agora vamos ver o que afinal tem nesse livro?! – exclamou Asuna.

- Será que é seguro? – perguntou Konoka olhando o livro com desconfiança.

- Agora não deve mais haver armadilhas. – disse Negi com segurança.

- Assim espero. Mas abre logo Negi! – pediu Asuna curiosa.

Negi , Asuna e Setsuna se juntaram para dar uma olhada no livro. Setsuna-P por outro lado se afastou e puxou Konoka para si:

- É uma honra enfim conhece-la Konoka Ojou-sama. – disse a shikigami e Konoka não pode deixar de reparar que sua voz era idêntica a de Setsuna. Forte porém suave e calma.

- Ah...olá. – respondeu a maga sem jeito. Não sabia o porquê, mas a presença da falsa garota a incomodava muito.

- Vamos ver... –Negi abriu o livro e observou uma anotação manual que havia no canto da folha de rosto do livro o queixo dos três caiu.

A anotação era a seguinte:

  Boa tentativa. Se encontrou este livro com certeza terá mais sorte na próxima.
E em seguida havia uma pequena caricatura do Thousand Master fazendo um sinal de afirmação com os dedos:
- É....é só isso? – Asuna perguntou abobada.
- “sorte na próxima”.... – Negi não podia acreditar que havia seguido uma pista falsa. Sentiu-se desanimado por um instante.
- Não fique assim Negi-sensei. Está escrito que terá sorte na próxima busca. – tentou consolar Setsuna e o pequeno mago realmente ficou mais feliz com o comentário.
- É verdade! – e sorriu feliz e pronto para recomeçar suas pesquisas.
- Criança esquece tão rápido... – comentou Asuna sorrindo.
- Acho que meu tempo está acabando aqui. – disse Setsuna-P para Konoka e olhou-a nos olhos. – Espero poder vê-la novamente um dia Ojou-sama.
- Ah... – Konoka não conseguia deixar de pensar que era os mesmos olhos de Setsuna nos seus.
- Tenha certeza de que eu posso realizar todas as suas vontades Ojou-sama. Até aquelas que a outra eu não tem coragem para satisfazer. – disse a shikigami olhando-a profundamente, parecia estar lendo a mente da garota a sua frente.
- M-minhas...vontades...? – Konoka corou violentamente.
- Qualquer uma.
- Hora de ir Setsuna-P. – Setsuna disse ao shikigami.
- Até breve Ojou-sama, eu espero. – despediu-se com um sorrisinho que não parecia nem um pouco com os de Setsuna.
Setsuna desfez o feitiço e os quatro amigos começaram a caminhar de volta para a republica estudantil de Mahora. Negi já discutindo com Kamo sobre novas investigações. Asuna simplesmente ouvia sorrindo. Setsuna também ouvia a conversa e fazia sugestões para o mago. Konoka porém estava distante. Não conseguia tirar da cabeça as palavras de Setsuna-P.
“Todas as suas vontades”.
Realmente Konoka temeu o dia em que encontraria novamente a shikigami ousada. Não tanto pela atitude da “garota”, mas por temer o que ela própria desejaria que esta satisfizesse.

Nenhum comentário: